HThe
Hm

Notícias na Florêncio de Abreu

Listando: 6 à 10 de 1188
Entenda seis elementos inovadores para a transformação digital

Nenhuma mudança acontece sem a incorporação de tecnologias e soluções inovadoras. Entenda os elementos para a transformação digital

Uma revolução não acontece sem tecnologias exponenciais, princípios fortes e a adesão total da sociedade. A competitividade e a própria sobrevivência no mercado dependem dos elementos da transformação digital, com novas formas de interação entre processos, pessoas, informações e tecnologia.

Isso porque as pessoas — clientes e colaboradores, por exemplo — são agentes da transformação nas empresas. São suas experiências e anseios que aceleram a repaginação dos modelos de negócio o os tornam aptos a prosperar na era digital.

Mas nenhuma mudança significativa acontece sem a incorporação de tecnologias exponenciais e soluções inovadoras, capazes de lidar com os desafios desse contexto. Por isso, destacaremos neste artigo alguns elementos da transformação digital. Confira!

Cloud computing

Ferramentas em nuvem permitem ao usuário acessar informações de qualquer lugar e a qualquer momento. Essa alta disponibilidade é essencial para manter a integração de todas as ferramentas e soluções utilizadas, permitir a colaboração simultânea em plataformas, softwares e sistemas operacionais, além de ser o ambiente mais eficiente para o armazenamento de dados.

Big Data

Big Data é o conceito que abrange, entre outras funções, o uso efetivo de informações mais precisas para tomar decisões, prever demandas, analisar a concorrência, desenvolver produtos mais adequados para os anseios de consumo dos clientes e estabelecer estratégias mais adequadas para manter a competitividade do negócio.

Em pequenos negócios essas informações são obtidas a partir do próprio software de gestão usado pela empresa — ERPs (Enterprise Resource Planning), CRMs (Customer Relationship Management) ou TMSs (Transportation Management System), por exemplo. Além disso, é interessante analisar dados de redes sociais e sites corporativos, a partir de ferramentas como o Google Analytics.

Internet das Coisas (IoT)

Internet das Coisas é a integração total em uma infraestrutura. Por meio do modelo de trabalho M2M (máquina a máquina) as operações são mais eficientes, porque não permitem a ocorrência de gaps que limitam os processos e possibilitam atrasos.

Uma prateleira com sensores, por exemplo, que emitiria alertas para o sistema de gestão da empresa informando a falta de algum item. O ERP, por sua vez, emitiria automaticamente o relatório de demandas por fornecedor, emitiria requisições de compra pela Internet o pedido seria entregue ao destinatário sem nenhuma interferência humana.

Machine learning e Inteligência Artificial (IA)

O aprendizado de máquina permite que algumas inovações melhorem seus processos com a prática e o tempo. Por isso sua eficiência é ainda mais evidente em conjunto com a Inteligência Artificial, uma vez que a tecnologia autônoma pode aprender sem o auxílio de humanos e ser mais eficiente conforme é utilizada.

Um antivírus ou firewall, por exemplo, por meio dessa tecnologia consegue identificar padrões e modelos de ameaças, para inibir próximas tentativas de ataques e garantir a segurança de todo o sistema operacional.

Blockchain

O Blockchain — emaranhado de informações disponibilizadas em blocos cujo elo é inquebrável e sem demanda de monitoramento — autentica processos que demandam mais transparência e confiabilidade. Essa tecnologia possibilitou o surgimento de moedas virtuais, como o Bitcoin, e devido à aplicabilidade em todas as áreas terá grande relevância para a redução de custos de infraestruturas de TI.

Por meio do Blockchain as informações financeiras ficam mais seguras e fintechs podem atuar com mais confiabilidade no mercado. Ao solicitar um empréstimo em uma plataforma de investidores-anjo, por exemplo, a transação baseada em blockchain pode manter os dados de todos os participantes em mais alto sigilo e inibir qualquer tipo de fraude.

Realidade Virtual (VR)

A VR possibilita uma experiência de imersão total em ambientes artificiais por meio de gráficos, sensações auditivas e olfativas. As empresas, principalmente em e-commerces, podem explorá-la como estratégia de visibilidade de produtos e serviços, para oferecer a possibilidade dos clientes “experimentarem” os itens, por exemplo.

A aplicação da transformação digital nos negócios depende da estratégia da própria empresa, pois essa mudança é construída a partir da percepção de diversos fatores, como disponibilidade de investir em tecnologia e adaptação da cultura organizacional.

Também é preciso alterar a essência do negócio a partir da crença na disrupção da mudança. Nesse contexto, a inovação deve ser a base para o redesenho dos processos, adaptação e ganho de eficiência operacional. Outros elementos da transformação digital serão, então, consequência dos resultados alcançados.

(Fonte: Por Guilherme Estevam) - 22/06/2020
NOVO MINISTRO NÃO TEM PROJETOS EM TELECOM, MAS RELATOU A FAVOR DA LGT

Novo ministro das Comunicações é considerado hábil articulador ligado a Rodrigo Maia e vai trabalhar para amenizar as tensões entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso.

Apesar de ser apontado como representante dos radiodifusores, o novo ministro das Comunicações, deputado Fábio Faria (PSD/RN), emitiu parecer favorável ao setor de telecomunicações como relator do Projeto de Lei (PL) 6308/16, propondo
alterar a proposta de inserir artigos do Código de Defesa do Consumidor (CDC) na Lei Geral das Telecomunicações (LGT).

Em outra área que terá ações da pasta, a internet, Faria apresentou parecer contrário a um PL que pretendia interferir em mecanismos de busca, a exemplo de Google e Yahoo. De autoria do ex-deputado Eduardo Cunha, preso na Operação Lava Jato, o texto fixava remoção obrigatória de links que apresentassem “dados irrelevantes ou defasados do envolvido”.

Em ambos PLs, Faria atuou como relator na Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI), no período de 2016 a 2019, de acordo com informações sobre a atuação do parlamentar reunidas no site da Câmara.

“ZONA CINZENTA”
O projeto sobre direitos do consumidor estabelecia responsabilidade objetiva da operadora por dano ocasionado pela prestação ineficaz de serviços.

“As operadoras de telefonia teimam em proclamar a LGT como a Constituição do setor, refutando a aplicação do Código de Defesa do Consumidor nas relações que estabelecem com seus usuários”, argumentou o autor do PL, o ex-deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB).

Em seu parecer, Faria contestou a proposta por entender que artigos do CDC já são aplicáveis às telecomunicações.”Assim, uma alteração na LGT no sentido pretendido pela proposição poderia trazer o efeito contrário ao inicialmente desejado pelo autor, gerando aí sim uma zona cinzenta de possíveis conflitos entre as legislações”, argumentou.

A proposta foi arquivada no final da legislatura passada e aguarda a retomada de tramitação.

Além dos PL sobre o CDC, o parlamentar apresentou parecer favorável ao PL 8814/17, de autoria do senador Paulo Bauer (PSDB/SC), para assegurar ao consumidor a manutenção do número do telefone, em caso de roubo, extravio e furto.

BAIXA EFICIÊNCIA
Já em relação ao PL do ex-deputado Eduardo Cunha, o deputado Fábio Faria apresentou, em seu parecer, posição contrária a do autor, alegando que a aprovação da matéria não teria resultados práticos.

“O projeto de lei em análise é contraproducente, pois, além de não ser suficiente para impor obrigação a bancos de dados situados fora do Brasil, é de baixa eficácia, já que não retira da Internet a informação que se pretende suprimir”.

A proposta foi arquivada em 2017.

RADIODIFUSÃO E ARTICULAÇÃO
Ao longo de 13 anos e cinco meses na Câmara Federal, o novo ministro não apresentou nenhum projeto na área de telecomunicações. Nesse período, foi relator de 13 proposições relativas à concessão e renovação de outorga de serviços de radiodifusão. É ligado ao setor por ser genro do apresentador Silvio Santos, dono da SBT, e por emissoras ligadas à sua família. Também já foi sócio da Rádio Agreste Ltda., fundada em 1997 por Robinson Faris, seu pai e ex-governador do Rio Grande do Norte. Mas afirma que já se afastou da sociedade.

Agilizar esses processos de outorga é um dos desafios do novo ministro para diminuir as tensões entre o Congresso e o presidente Jair Bolsonaro. Faria é considerado com um político hábil na articulação com os congressistas. Além de ser
amigo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ) ocupa a terceira secretária da Mesa Diretora da Casa, um cargo de prestígio. Na gestão anterior de Maia, foi 2º vice-presidente.

Também já foi vice-líder do “Centrão”, bloco de partidos a se atribuiu a nomeação dele ao cargo. “Fui uma indicação pessoal do presidente Jair Bolsonaro”, disse Faria, após ser confirmado no cargo na noite dessa quinta-feira,11.

Ao lado do ex-ministro Gilberto Kassab, Faria ajudou a fundar o PSD em 2011 e a articular o embarque do partido do governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Em 2014, usou as redes sociais para comemorar a popularidade da presidente e
anunciar o apoio à sua reeleição. “Excelente!”, escreveu ao republicar uma mensagem do usuário do Twitter @sandrarosado: “Popularidade da nossa presidente Dilma chega 77%. Tá dando inveja a Mto [muito]”.

(Fonte: ABNOR GONDIM) - 15/06/2020
PANDEMIA FEZ MERCADO DE TABLETS ENCOLHER MENOS QUE O PREVISTO

Queda foi de 3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a projeção inicial para o período era de 10% de retração

No primeiro trimestre de 2020 foram vendidos 674.163 tablets no Brasil, queda de 3% no mercado em relação aos três primeiros meses do ano passado. Para o período, a consultoria IDC Brasil previa queda de 10%, mas a pandemia de covid-19 aumentou o consumo desse dispositivo.

Do total de unidades comercializadas de janeiro a março de 2020, 624.512 foram consumidas pelo varejo com queda de 4,7%. E, 49.651 pelo mercado corporativo, alta de 25,7% em comparação com o primeiro trimestre de 2019. A receita foi de R$ 444,4 milhões, alta de 1,1% e o ticket médio foi de R$ 659,13, aumento de 4,1%, em relação ao mesmo período do ano passado .

De acordo com a IDC Brasil, os índices refletem duas situações de alta demanda. A volta às aulas, em janeiro, com 34,8% das unidades vendidas, e o início da quarentena, em março, com 35,5%.
“Em janeiro, tradicionalmente há uma reposição de estoques esvaziados pela Black Friday e Natal. Este ano, o mercado, que já vinha acompanhando a evolução do novo coronavírus no mundo, se preparou para atender também a demanda provocada pelas medidas de distanciamento social”, diz Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC Brasil. Segundo ele, os projetos do governo e educação contribuíram para o crescimento das vendas de tablets no segmento corporativo.

O analista destaca também o modelo Device as a Service. “No início do isolamento social, empresas começaram a buscar serviços de aluguel de equipamentos para o período em que seus funcionários ficariam afastados do local de trabalho”, lembra Rodrigo. (Com assessoria de imprensa)

(Fonte: DA REDAÇÃO) - 15/06/2020
AFILIADA DA GLOBO CONTRATA EUTELSAT PARA DISTRIBUIR CONTEÚDO EM BANDA C PLANEJADA

Frequência não é afetada pelo uso do celular em 3,5 GHz,. Segundo as empresas, a migração para cerca de 300 sites aconteceu em menos de 45 dias

A TV TEM, afiliada da TV Globo no interior de São Paulo, assinou um contrato plurianual com a operadora de satélites Eutelsat. Com isso, vai usar capacidade no satélite Eutelsat 65 West A para distribuir conteúdo em sua área de concessão.

A parceria permitiu que a TV TEM migrasse seus canais da banda C tradicional (3,7 GHz a 4,2 GHz) para a banda C planejada (4,5 GHz a 4,8 GHz) no satélite Eutelsat 65 West A. O uso da banda C planejada é defendido pela Eutelsat como alternativa à mitigação de interferências no IMT-2020 sobre a TV aberta transmitida por satélite (TVRO) ou à migração dos canais para a banda Ku.

A TV TEM cobre 318 municípios em uma região de 8,3 milhões de habitantes, cerca de 49% da população do interior do estado paulista. Para usar a banda C planejada, a emissora precisou substituir equipamentos e reapontar as antenas para a posição orbital 65ºO. Segundo as empresas, a migração para cerca de 300 sites aconteceu em menos de 45 dias.

(Fonte: Reuters ) - 08/06/2020
Mercado Livre lança linha de capital de giro com prestações flexíveis

O Mercado Livre anunciou nesta segunda-feira que passará ofertar a pequenos comerciantes linhas de capital de giro cujas prestações podem ser pagas como proporção das vendas.



Funcionários em escritórios do Mercado Livre em São Paulo (SP) 10/07/2017 REUTERS/Nacho Doce
Foto: Reuters

Distribuída por meio de sua unidade de financiamentos Mercado Crédito, a linha permite operações individuais de 100 reais a 350 mil reais.

Segundo o diretor do Mercado Crédito, Pedro de Paula, o produto tem como alvo negócios com volatilidade de vendas, especialmente diante da crise econômica provocada pelas medidas de distanciamento social para conter a pandemia do coronavírus.

"O percentual da parcela diária a ser paga poderá variar entre 15%, 25% ou 35% do total do faturamento", disse De Paula em transmissão pela internet.

A medida mostra como o maior portal de comércio eletrônico está tentando minimizar os efeitos da pandemia sobre seu ambiente de negócios, com as pequenas e microempresas entre as mais afetadas pelas medidas de isolamento, especialmente as que não que não dispõem de comércio eletrônico.

Em abril, o Mercado Crédito criou uma linha de financiamento de 600 milhões de reais para pequenos negócios no Brasil.

Nesta segunda-feira a companhia também estendeu para todos os usuários a opção de parcelar o pagamento de compras sem a necessidade de um cartão de crédito, modalidade antes ativa apenas para clientes previamente aprovados. Também lançou o parcelamento de contas como de luz, água, telefone, IPTU e IPVA em até 12 vezes.

(Fonte: Reuters ) - 08/06/2020
Listando: 10 de 1188

Anuncie

Sobre o Portal da Florêncio de Abreu

O Portal da Florêncio de Abreu foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Florêncio de Abreu no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.